27 dezembro 2010

Feliz Natal e um próspero ano novo !!!

Buenas amigos,

no último dia de votação efetiva na Câmara nossos deputados deram uma da Papai Noel, mas trocaram o tradicional "hohoho" pelo "hehehe" quando pensaram na população. O plenário aprovou um projeto que elevou para R$ 26,7 mil o salário dos parlamentares, do presidente, do vice e dos ministros de Estado a partir de 1º de fevereiro de 2011.

Sendo assim, que todos tenhamos um natal repleto de alegrias e um ano novo tão próspero quanto o aumento de salário que desejam nossos Deputados...

Educação corporativa

Recentemente o Santa passou a publicar a seção “O X da educação”, demonstrando os principais triunfos e dificuldades do sistema educacional brasileiro. Não é novidade que a educação no país enfrenta sérios problemas estruturais e de valorização e qualificação profissional. Os investimentos feitos visam a corrigir falhas evidentes, porém faz-se necessário criar uma política para reestruturação do ensino.

Infelizmente vivemos ainda uma ditadura social, onde o fruto do estudo não são cabeças pensantes, apenas tendenciosas. A indústria brasileira necessita de mão-de-obra qualificada, profissionais capazes de liderar e assumir responsabilidades. No entanto, no processo educacional somos estimulados justamente ao contrário.

A educação ainda vive uma fase retrógrada, onde até nas universidades os futuros professores são educados de maneira tradicional e monótona. Estudantes permanecem sentados em sala, de costas uns para os outros, virados para um professor, posicionamento que estimula o pensamento individual e a competição, treinando-os para ouvir alguém superior.

Educar é dinamizar o ensino, procurando direcionar a vontade do estudante para o aprendizado, não o obrigar a decorar conceitos. Por que não sentar em círculo e estimular o contato visual e a exposição de ideias? Descentralizar o conhecimento, colocar o professor também como aprendiz, atuando como um mediador de ideias, afinal diariamente todos aprendemos algo.

Existem profissionais que ainda lutam para uma melhoria da qualidade do ensino, porém uma parcela muito maior não se importa com os resultados. Afinal, por que dedicar-se aos outros se o seu próprio trabalho não é valorizado? A educação não é tudo, mas é a base de tudo. Um setor responsável pela melhoria de toda uma sociedade merece ser mais valorizado pelas autoridades que colocamos no poder.

Artigo publicado no Jornal de Santa Catarina em 13/05/2009

Sacolas plásticas: reciclando costumes

Desde a sua invenção, em 1909, o plástico tornou-se um dos produtos mais consumidos pela humanidade e, devido à alta durabilidade e aos problemas relacionados à disposição final dos resíduos gerados, passou a ser um dos principais desafios ambientais da atualidade. Por serem comumente utilizadas, as sacolas tornaram-se o principal símbolo do consumo excessivo de plástico. Segundo o Ministério do Meio Ambiente, 1,5 milhão delas são distribuídas por hora no Brasil.

Com um período de degradação estimado em mais de 400 anos, são inúmeros os prejuízos causados pela disposição inadequada destes materiais, como o entupimento de bueiros –, agravando situações de enxurradas –, ou a mortandade de animais aquáticos.

Quando utilizadas para armazenamento do lixo doméstico, as sacolas diminuem a vida útil de aterros sanitários pois, juntamente com outros tipos de plástico, criam mantas de impermeabilização que prejudicam a decomposição de diversos materiais.

Em Blumenau, a audiência pública realizada para discutir a substituição das sacolas plásticas nos estabelecimentos comerciais da cidade teve apoio de diversos setores da sociedade, o que não vai acabar com o consumo de petróleo e salvar o planeta, mas sem dúvida representará um grande avanço, mostrando ao consumidor que existem alternativas ambientalmente viáveis a serem utilizadas sem prejudicar os costumes diários, gerando assim uma cultura ecológica.

Os possíveis substitutos das tradicionais sacolas vão desde as bolsas ecológicas até sacolas biodegradáveis, produzidas com recursos renováveis e cuja disposição não agride o meio natural.

Cabe agora ao poder público e à sociedade agirem de maneira conjunta em prol de iniciativas como esta, pensando globalmente e agindo localmente, em favor de um meio ambiente ecologicamente equilibrado.

Artigo publicado no Jornal de Santa Catarina em 26/11/2010.

06 dezembro 2010

A História da COP 16

O que esperar da Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP 16 - Cancún, México)? Antes de tentar responder, vale a pena lembrar:

...como começou a COP 15 - Copenhague, Dinamarca - em dezembro de 2009

...como terminou a COP 15

...e como começou a COP 16


Então, o que esperar da COP 16?
É engraçado...é lamentável...e é verdade...

15 novembro 2010

O preço do progresso insustentável

Desde 1850, quando Doutor Blumenau estrategicamente aqui fundou uma colônia com 17 imigrantes de diferentes ofícios, a localidade já mostrava ser economicamente bem planejada. De lavrador a ferreiro, as bases do desenvolvimento agrícola aqui estavam. A única lacuna a ser preenchida, algo compreensível dada a forma de pensar da época, foi de caráter ambiental, visto que a colônia foi instalada numa área facilmente alagável.

Localização à parte, Blumenau se desenvolveu muito ao longo de sua história, superando desde os desmembramentos realizados na década de 30, até as restrições impostas à cultura germânica durante as duas grandes guerras, sendo hoje referência nacional em termos de desenvolvimento humano.

Infelizmente, o único entrave para que a cidade tenha uma economia ainda mais próspera continua sendo o mesmo da época da colonização. Blumenau se recuperou das enchentes de 1982 e 1983, e ainda se recupera dos deslizamentos de novembro de 2008, mas continua tratando assuntos relacionados à sustentabilidade ambiental de maneira superficial. Muitos se referem ao último ocorrido como desastre ambiental, porém, embora as chuvas ocorridas há dois anos tenham sido excessivas, estudos comprovam que a maioria dos deslizamentos foi consequência direta da ação antrópica.

Hoje, profissionais que há muito alertavam sobre a possibilidade de acidentes ambientais no município – como o colunista do Santa, Lauro Bacca – continuam sendo ignorados e taxados de ecochatos quando dão sugestões visando à urbanização sustentável. Cabe lembrar que o ocorrido há dois anos causou prejuízo de R$ 90 milhões ao município, que poderiam ir para outras áreas. Ou seja, ambientalismo não significa barrar o progresso, mas progredir de modo racional. Quando corrigiremos essa falha na nossa história?

Artigo publicado no Jornal de Santa Catarina em 11/11/2010.

21 outubro 2010

Desabafo Eleitoral

Buenas amigos,

com a Marina Silva fora da disputa presidencial, os discursos defendendo Dilma ou Serra ganharam intensidades ainda maiores. Sobre essas discussões gostaria de expressar minha opinião.

Sobre a Dilma, as principais críticas que ouvi dizem respeito ao fato dela ter participado da luta armada durante a ditadura militar e as suposições de que ela seja homossexual, então vos pergunto, e daí???? Sobre a ditadura, se não fosse certas pessoas pegando em armas pouquíssima gente saberia de tudo o que era censurado pelos militares. Cita-se como exemplo o sequestro do embaixador dos EUA, numa época onde militantes eram calados, diga-se mortos ou torturados, se não fosse gente combatendo fogo com fogo sabe-se lá como estaríamos hoje. Nesse quesito a Dilma se mostrou muito mais corajosa do que o Serra, que fez um ou dois discursos e mais nada em prol da redemocratização do país.

Sobre a opção sexual da candidata à presidência, o que isso interfere na sua competência ou ideais na hora de governar? Criticar alguém por opção sexual é homofobia e, principalmente, IGNORÂNCIA.

Ouvi gente com formação superior levantando coisas como essas, então eu peço encarecidamente: pelo bem da democracia brasileira, deixemos de ser ignorantes e nos prendendo a coisas superficiais, vamos amadurecer nossos debates e discutir o que realmente vale a pena. Critiquem a Dilma por suas atitudes como Ministra da Casa Civil, como por exemplo a pressão que ela fez ao Ministério do Meio Ambiente pela liberação de licenças sem os devidos estudos (o que levou Marina a deixar o cargo), pela sua falta de posição quando representou o Brasil no COP 15, pelos escândalos de corrupção no seu Ministério, e etc... Tragam à tona temas que valham a pena discutir, só assim a população amadurecerá sua forma de pensar e seu voto.

Assim também com relação ao Serra. Não falem como se ele fosse um general e a ditadura fosse voltar com o PSDB, mas comentem sobre as privatizações que fez quando Ministro do FHC (e quando Governador de SP), sobre o aumento da carga tributária em SP, a redução de investimentos em setores básicos, entre outros.

Não estou defendendo nenhum dos dois candidatos, apenas peço para que nós cidadãos, que temos o verdadeiro poder nesse país, não nos deixemos levar por comentários superficiais. Vamos nos focar no que é melhor para o Brasil !!!

A sociedade muda quando os indivíduos que vivem nela mudam !!! Pense no seu voto !!!

07 janeiro 2010

A Alegoria da Caverna

Buenas amigos,

sem qualquer delonga gostaria de vos apresentar o objetivo deste blog. Para isso, sugiro que assistam um vídeo sobre a "Alegoria da Caverna" de Platão, a qual encontra-se no presente LINK.

Nem sempre aquilo em que acreditamos fielmente é a verdade absoluta, por isso, meu objetivo com esse blog não é outro senão abordar temas variados para ouvir diferentes pontos de vista e engrandecer a todos nós. Você é livre pra participar...